1ª Leitura – Gl 1,13-24

Dignou-se revelar-me o seu Filho,
para que eu o pregasse entre os pagãos.

Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas 1,13-24

Irmãos: 
13 Certamente ouvistes falar 
como foi outrora a minha conduta no judaísmo, 
com que excessos perseguia e devastava a Igreja de Deus 
14 e como progredia no judaísmo 
mais do que muitos judeus de minha idade, 
mostrando-me extremamente zeloso das tradições paternas. 
15 Quando, porém, aquele que me separou desde o ventre materno 
e me chamou por sua graça 
16 se dignou revelar-me o seu Filho, 
para que eu o pregasse entre os pagãos, 
não consultei carne nem sangue 
17 nem subi, logo, a Jerusalém 
para estar com os que eram apóstolos antes de mim. 
Pelo contrário, parti para a Arábia 
e, depois, voltei ainda a Damasco. 
18 Três anos mais tarde, fui a Jerusalém 
para conhecer Cefas 
e fiquei com ele quinze dias. 
19 E não estive com nenhum outro apóstolo, 
a não ser Tiago, o irmão do Senhor. 
20 Escrevendo estas coisas, 
afirmo diante de Deus que não estou mentindo. 
21 Depois, fui para as regiões da Síria e da Cilícia.
22 Ainda não era pessoalmente conhecido 
das igrejas da Judéia que estão em Cristo. 
23 Apenas tinham ouvido dizer que 
‘aquele que, antes, nos perseguia, 
está agora pregando a fé que, antes, procurava destruir’. 
24 E glorificavam a Deus por minha causa.  
  Palavra do Senhor.

 

Salmo – Sl 138,1-3. 13-14ab. 14c-15 (R. 24b)

R. Conduzi-me no caminho para a vida, ó Senhor!

1  Senhor, vós me sondais e conheceis, * 
2  sabeis quando me sento ou me levanto; 
de longe penetrais meus pensamentos, + 
3  percebeis quando me deito e quando eu ando, * 
os meus caminhos vos são todos conhecidos.       R.

13  Fostes vós que me formastes as entranhas, * 
e no seio de minha mãe vós me tecestes. 
14a  Eu vos louvo e vos dou graças, ó Senhor, + 
porque de modo admirável me formastes! * 
14b  Que prodígio e maravilha as vossas obras!   R.

14c  Até o mais íntimo, Senhor me conheceis; * 
15  nenhuma sequer de minhas fibras ignoráveis; 
quando eu era modelado ocultamente, * 
era formado nas entranhas subterrâneas.            R.

Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 10,38-42.
Naquele tempo:
38  Jesus entrou num povoado,
e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa.
39  Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor,
e escutava a sua palavra.
40  Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres.
Ela aproximou-se e disse:
‘Senhor, não te importas que minha irmó
me deixe sozinha, com todo o serviço?
Manda que ela me venha ajudar!’
41  O Senhor, porém, lhe respondeu:
‘Marta, Marta! Tu te preocupas
e andas agitada por muitas coisas.
42  Porém, uma só coisa é necessária.
Maria escolheu a melhor parte
e esta não lhe será tirada.’
Palavra da Salvação.


Num mundo marcado por grande confusão e pela desesperada perda de sentido, num mundo onde os mass media, em si mesmos tão positivos, mas manipulados pelas cegas forças do eficientismo materialista, “macaqueiam” os «caminhos da paz», falsificando a vida e a morte, é urgente acolher a palavra de Jesus. Acolho-a, em primeiro lugar, em mim mesmo; é em mim que, de acordo com a prioridade contemplativa sugerida pela atitude de Maria, a escuta, em tempos e espaços de indispensável quietude de todo o meu ser.

 

 


Mas também é urgente anunciá-la. Hoje mais do que nunca! Todavia há que resistir à tentação da excessiva inquietação e preocupação, em Marta.  Chegou o tempo de viver, no dia a dia, a atitude orante de Maria, sem descuidar o genuíno serviço de Marta, mas animando-o e vivificando-o com este sereno acolhimento da Palavra. Bom dia a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *