Santa Dulce dos Pobres

Irmã Dulce, no alcance da luz e da santificação. Dia 13 de Outubro, canonização-Santa dos Pobres.

Irmã Dulce

Nascida em 26 de Maio de 1914 em Salvador/BA, Maria Rita Lopes Pontes foi assim batizada. Hoje a conhecemos como Irmã Dulce, freira que dedicou sua vida a fé, devoção e caridade aos pobres e enfermos. O dia 13 de Outubro marca mais um acontecimento histórico para católicos de todo o Brasil. Nessa data acontece à canonização da beata irmã Dulce, ela recebe então o título de Santa Dulce dos Pobres em homenagem a sua trajetória de caridade. O segundo milagre, muito esperado foi reconhecido em 13 de Maio deste ano (2019), e comunicado somente no dia seguinte pelo Vaticano.

O milagre que consuma a canonização é atribuído ao Maestro José Maurício Moreira. Ele é baiano, tem 50 anos, e foi diagnosticado com Glaucoma (doença que atinge o nervo óptico, ocasionando perda visual irreversível) em 1999. Em pouco tempo, menos de um ano já comprovava cegueira em ambos os olhos. Após anos, sua prece em oração cheia de fé, finalmente foi direcionada a irmã Dulce, isso em 2014, quando pelo milagre da beata voltou a enxergar. Foram muitos anos de investigação realizada pelo Vaticano para a comprovação do milagre, conta-se sete anos no mínimo para a confirmação.

  • O milagre                                            

O primeiro milagre aconteceu em 2001, em Sergipe, quando Claudia Cristiane Santos de Araújo, foi surpreendida por uma severa hemorragia (sangramento intensivo e persistente) após o parto, situação ao qual os médicos não conseguiam controlar. Estado tão crítico que sua morte era prevista, um amigo da família, também padre, rogou a intercessão de irmã Dulce no auxilio e melhora de Claudia. Uma foto da freira foi colocada junto ao leito. Então, quando os médicos estavam prontos para atestar seu óbito, receberam a feliz notícia de sua melhora repentina.

Com isso, em 2010, seu primeiro milagre foi reconhecido e a declaração de beatificação para a irmã Dulce foi concedida. Dado o segundo milagre, nesse domingo próximo, (13) de outubro, Irmã Dulce será reconhecida como a primeira Santa nascida no Brasil.

Temos em registros do primeiro Santo brasileiro, que é Frei Galvão, foi canonizado em 11 de Maio de 2007 pelo Papa Bento XVI, nascido em Guaratinguetá, interior de São Paulo. E contamos também, com Madre Paulina que veio para o Brasil aos 10 anos de idade, nascida na Itália, por isso, não comprova origem brasileira.

Vida – Irmã Dulce

Irmã Dulce – Auxilio aos necessitados

Conhecida por suas obras de ação social, irmã Dulce demonstrou desde muito cedo sinais de sua entrega humanitária. Aos 13 anos de idade acolhia e amparava em sua casa, junto a sua família, doentes e moradores de rua. Aos 18 anos, já adulta se formou professora primária e ingressou na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, no Convento de Nossa Senhora do Carmo, na cidade de São Cristóvão/Sergipe.

Recebeu então, o título de Irmã Dulce, homenagem à sua mãe, dona Maria Dulce que faleceu quando ela tinha somente sete anos de idade. Essa foi a forma encontrada para homenageá-la e de mantê-la presente em sua vida.

Papa João Paulo II e Irmã Dulce – 1980

Em 26 de Maio de 1959, Irmã Dulce fundou a Associação Obras Sociais Irmã Dulce, e no ano seguinte, inaugurou o Albergue Santo Antônio, com mais 150 leitos. Sendo assim, muitos anos de trabalho solidário e servidão marcaram sua trajetória. No ano de 1980 ela conheceu pessoalmente o Papa João Paulo II, e em 1988 foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz, pelo então Presidente da República José Sarney, fato esse que também contou com o apoio da rainha Sílvia da Suécia. O prêmio não veio, mas suas obras ficaram conhecidas pelo mundo afora!

No ano de 1991 ocorreu mais um encontro importante, Irmã Dulce já se encontrava doente quando recebeu a visita de João Paulo II pela última vez. No ano seguinte, em 13 de Março de 1992, no convento Santo Antônio, Cidade Baixa/BA, marcando seus 77 anos de idade, ela faleceu! Seu sepultamento foi realizado no dia 15 de Março no altar do Santo Cristo – Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia – Cidade Baixa/BA. Ao completar vinte e sete anos da sua morte, em 2019, finalmente comprovou-se o segundo e definitivo milagre para sua canonização!

  • Canonização

Dia 10 de Outubro, a imagem da beata da Irmã Dulce, junto a outros que serão canonizados neste domingo (13) estava exposta na Praça de São Pedro, Vaticano/Roma, Itália – local onde será realizada a cerimônia pelo Papa Francisco. A data da celebração será sempre no dia 13 de Agosto. Todos os anos vamos ter a honra de bendizer e glorificar a Santa Dulce do Pobres, santa brasileira que dedicou sua vida e agora nos dedica em luz e fé suas graças de salvação.

A canonização do dia 13 de Outubro, domingo, inclui também os seguintes beatos: John Henry Newman, cardeal, fundador do Oratório de São Filipe Néri na Inglaterra; Giuseppina Vannini, fundadora das Filhas de São Camilo; Maria Teresa Chiramel Mankidiyan, fundadora da Congregação das Irmãs da Sagrada Família; e Margherita Bays, Virgem da Ordem Terceira de São Francisco de Assis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *