9 de Dezembro de 2018

1ª Leitura – Br 5,1-9

Deus mostrará o teu esplendor.

Leitura do Livro do Profeta Baruc 5,1-9

1 Despe ó Jerusalém, a veste de luto e de aflição,
e reveste, para sempre, os adornos da glória
vinda de Deus.
2 Cobre-te com o manto da justiça que vem de Deus e
põe na cabeça o diadema da glória do Eterno.
3 Deus mostrará teu esplendor, ó Jerusalém,
a todos os que estão debaixo do céu.
4 Receberás de Deus este nome para sempre:
‘Paz-da-justiça e glória-da-piedade’.
5 Levanta-te, Jerusalém, põe-te no alto
e olha para o Oriente!
Vê teus filhos reunidos pela voz do Santo,
desde o poente até o levante,
jubilosos por Deus ter-se lembrado deles.
6 Saíram de ti, caminhando a pé,
levados pelos inimigos.
Deus os devolve a ti, conduzidos com honras,
como príncipes reais.
7 Deus ordenou que se abaixassem
todos os altos montes e as colinas eternas,
e se enchessem os vales, para aplainar a terra,
a fim de que Israel caminhe com segurança,
sob a glória de Deus.
8 As florestas e todas as árvores odoríferas,
darão sombra a Israel, por ordem de Deus.
9 Sim, Deus guiará Israel, com alegria, 
à luz de sua glória, manifestando a misericórdia
e a justiça que dele procedem.


Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 125,1-2ab.2cd-3.4-5.6 (R. 3)

R. Maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!

1 Quando o Senhor reconduziu nossos cativos,*
parecíamos sonhar;
2ª encheu-se de sorriso nossa boca,*
2b nossos lábios, de canções.              R.

2c Entre os gentios se dizia: ‘Maravilhas*
2d fez com eles o Senhor!’
3 Sim, maravilhas fez conosco o Senhor,*
exultemos de alegria!                                               R.

4 Mudai a nossa sorte, ó Senhor,*
como torrentes no deserto.
5 Os que lançam as sementes entre lágrimas,*
ceifarão com alegria.                                         R.

6 Chorando de tristeza sairão,*
espalhando suas sementes;
cantando de alegria voltarão,*
carregando os seus feixes!                       R.

2ª Leitura – Fl 1,4-6.8-11

Ficareis puros e sem defeito para o dia de Cristo.

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses 1,4-6.8-11

Irmãos:
4 Sempre em todas as minhas orações
rezo por vós, com alegria,
5 por causa da vossa comunhão conosco
na divulgação do Evangelho,
desde o primeiro dia até agora.
6 Tenho a certeza de que
aquele que começou em vós uma boa obra,
há de levá-la à perfeição até ao dia de Cristo Jesus.
8 Deus é testemunha de que tenho saudade de todos vós,
com a ternura de Cristo Jesus.
9 E isto eu peço a Deus:
que o vosso amor cresça sempre mais,
em todo o conhecimento e experiência,
10 para discernirdes o que é o melhor.
E assim ficareis puros e sem defeito
para o dia de Cristo,
11 cheios do fruto da justiça
que nos vem por Jesus Cristo,
para a glória e o louvor de Deus.


Palavra do Senhor.

Evangelho – Lc 3,1-6

Todas as pessoas verão a salvação de Deus. 

Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 3,1-6

1 No décimo quinto ano do império de Tibério César,
quando Pôncio Pilatos era governador da Judéia,
Herodes administrava a Galiléia,
seu irmão Filipe, as regiões da Ituréia e Traconítide,
e Lisânias a Abilene;
2 quando Anás e Caifás eram sumos sacerdotes,
foi então que a palavra de Deus
foi dirigida a João, o filho de Zacarias, no deserto.
3 E ele percorreu toda a região do Jordão,
pregando um batismo de conversão
para o perdão dos pecados, 
4 como está escrito
no Livro das palavras do profeta Isaías:
‘Esta é a voz daquele que grita no deserto:
‘preparai o caminho do Senhor,
endireitai suas veredas.
5 Todo vale será aterrado,
toda montanha e colina serão rebaixadas;
as passagens tortuosas ficarão retas
e os caminhos acidentados serão aplainados.
6 E todas as pessoas verão a salvação de Deus”.


Palavra da Salvação.

Meditação

Podemos situar o tema deste domingo à volta da missão profética. Ela é um apelo à conversão, à renovação, no sentido de eliminar todos os obstáculos que impedem a chegada do Senhor ao nosso mundo e ao coração dos homens. Esta missão é uma exigência que é feita a todos os batizados, chamados – neste tempo em especial – a dar testemunho da salvação/libertação que Jesus Cristo veio trazer.


O Evangelho apresenta-nos o profeta João Baptista, que convida os homens a uma transformação total quanto à forma de pensar e de agir, quanto aos valores e às prioridades da vida. Para que Jesus possa caminhar ao encontro de cada homem e apresentar-lhe uma proposta de salvação, é necessário que os corações estejam livres e disponíveis para acolher a Boa Nova do Reino. É esta missão profética que Deus continua, hoje, a confiar-nos.


A primeira leitura sugere que este “caminho” de conversão é um verdadeiro êxodo da terra da escravidão para a terra da felicidade e da liberdade. Durante o percurso, somos convidados a despir-nos de todas as cadeias que nos impedem de acolher a proposta libertadora que Deus nos faz. A leitura convida-nos, ainda, a viver este tempo numa serena alegria, confiantes no Deus que não desiste de nos apresentar uma proposta de salvação, apesar dos nossos erros e dificuldades.


A segunda leitura chama a atenção para o facto de a comunidade se dever preocupar com o anúncio profético e dever manifestar, em concreto, a sua solidariedade para com todos aqueles que fazem sua a causa do Evangelho. Sugere, também, que a comunidade deve dar um verdadeiro testemunho de caridade, banindo as divisões e os conflitos: só assim ela dará testemunho do Senhor que vem.

• O Advento é um tempo favorável para o êxodo da terra da escravidão para a terra da liberdade. Neste tempo somos especialmente confrontados com as cadeias que ainda nos prendem e convidados a percorrer esse caminho de regresso que a bondade e a ternura de Deus vão aplanar, a fim de que possamos regressar à cidade nova da alegria e da liberdade. Em termos pessoais, quais são as escravidões que ainda nos prendem e nos impedem de acolher o Senhor que vem?

• As nossas comunidades são, verdadeiramente, oásis de justiça, de fraternidade, de comunhão, de partilha e de serviço? Que falta fazer, a nível comunitário, para acolher o dom de Deus e tornar realidade essa cidade da justiça e da piedade?

• “Vê os teus filhos… estão cheios de alegria porque Deus se lembrou deles” (Bar 5,5). É nesta atmosfera de alegria e de confiança serena na acção salvadora do nosso Deus que somos convidados a viver este tempo de mudança e a preparar a vinda do Senhor às nossas vidas.

2 thoughts on “2º Domingo do Advento 9

  1. Nilton Antonio Marques says:

    Ajudemo-nos uns aos outros… Procuremos neste Advento “discernir o mais importante” , a maneira de nos ajudarmos uns aos outros a progredir espiritualmente, prepararando-nos -nos para viver o Natal de outra maneira, quer pessoalmente, quer na nossa vida de comunidade cristã. Bom Domingo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *